domingo, 30 de agosto de 2009

PB Convida

No domingo de 6 de Dezembro de 2009
acontece a 6ª edição do PrasBandas no Bairro Alto
na bela Praça da Liberdade
em frente aos morros da nossa serra do mar...

A primeira banda convidada é a Maxixe Machine!

Leia abaixo um pouco sobre esses curitibanos
e ao lado escute algumas de suas canções.

Independência ou morte mermão :)


Uma rápida história dos anos em que a Contrabanda Enterprise Corporations & Limitadas Companhias transformou-se na Companhia de Energia Elétrica Beijo AA Força e mais tarde no Maxixe Machine

Essa confusa história começa no longínquo 1981 na pacata cidade Curitiba, com a formação da CONTRABANDA (Contrabanda Enterprise Corporation & Limitadas Companhias), uma turma de compositores obcecados com a produção e apresentação de suas canções, uma raridade na época em solo curitibano, a novidade levou o público a lotar as sessões no Mini Guaíra. As performances resumiam-se a cenários de ferro velho e uma muita vontade da garotada (a média de idade era 17 anos) de interpretar suas canções no estilo salada russa da maneira mais barulhenta que seus violões vagabundos e suas letras estranhas permitiam. Após apresentarem-se no Circo Voador na cidade do Rio de Janeiro, a então crítica Ana Maria Bahiana escreveu na “Pipoca Moderna”: "... são verdadeiras esponjas musicais..." obviamente referindo-se à mistureira e baderna que aprontavam. Alguns shows mais tarde, a CONTRABANDA fez sua última apresentação no Guairão ao final de 82.

Cronologia dos Fatos: Quem é quem?

A canção punk e a poesia clássica era o mote, a vocação era para uma poesia dura e com um humor duvidoso. Assim foi difundido o particular e nada saudável hábito de fazer músicas e poesias em grandes grupos, incluindo aí, Shakespeare, Yeats, Baudelaire, Rimbaud, Edgar A. Poe, Maiakovski, Klebnikov, e outros. Essa turma formada há mais de vinte sete anos por Rodrigo Barros (Voz, violão e Guitarra), Walmor Douglas (Voz, Guitarra e violão), Renato Quege (Baixo e Voz) e Luiz Ferreira (Guitarra, Cavaco e Voz) que sempre estiveram em Curitiba mais o poeta Sérgio Virallobos (Voz) que foi pra Manaus e depois pra SP de onde continuou a escrever à distância com os sempre parceiros Thadeu Wojciechowski, Beto Trindade, Edilson Del Grossi e Marcos Prado. Antes do baterista Mola Jones houve o Foguinho e de 1985 a 1988 contou com o saxofone estranho (dizem) do Negro Gladistone Ghetto. O Therciano Albuquerque (Teclados) veio em 91 e junto com eles duas baterias com o Jeff Otto, que hoje é ídolo do axé em algum lugar de Curitiba, o 1995 Ricardo Rosinha e o Antonio Saraiva vieram pro Sem Suingue. Logo que o Maxixe Machine nasceu e o poeta Marcos Prado morreu. Mas a turma é grande e a sede infinita.

Poesia está presente em outros trabalhos dos músicos Rodrigo e Ferreira, produtores de grande acervo de poesia falada e eventos literários, podendo ser incluídos entre os maiores colecionadores de material poético oral de qualidade do Brasil, aumentando sempre seu acervo gravando freqüentemente poetas e escritores, além de digitalizarem o imenso acervo de fitas magnéticas do falecido jornalista Aramis Millarch no próprio estúdio da dupla, a “CHEFATURA & SONS”.

Os dois também fazem parte da equipe de criação da Cia. Sutil de Teatro, com o diretor Felipe Hirsch, desde o seu início, e ainda abusando e usando os seus excelentes atores no curta BARBABEL, de 1999.

Sendo donos do próprio estudio (Chefatura), selo (Sem Suingue) e, brevemente, de seu próprio teatro (A Grande Garagem Que Grava – 60 lugares e outra longa história...), com tecnologia barata para a industrialização de seus vários produtos culturais, o grupo vem sobrevivendo com galhardia às crises e aos modismos que assolam o mercado cultural, ultrapassando sempre as baixas perspectivas de sobrevida dos artistas independentes.


Próxima postagem:
MAXIXE MACHINE ATRAVÉS DOS TEMPOS


quarta-feira, 26 de agosto de 2009

PB6: On!

Entre a Avenida da Integração e Ruas Rio Japurá e Rio Jari temos o Armázem da Família, Parquinho, Módulo Policial e Unidade de Educação Integral Escola Municipal Araucária.

Teremos o palco entre os banheiros e a cancha de volei. Estacionamento, cancha de futebol, CEI Liberdade e um ponto de ônibus do Bairro Alto > Boa Vista também rodeiam.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

PB6: Play!

Fomos na Praça da Liberdade hoje a tarde:
Churchill (palco), Mario (som), Jewan (produção) e eu...
Unanimidade quanto ao local do palco pro PrasBandas 6!


A praça no Bairro Alto fica no alto, é grande, tem Armazém da Família, canchas de futebol e volei, uns 5 cães que nas 3 vezes que fui lá eles estavam na área abanando os rabos, playground, grama onde as crianças escorregam sentadas e deitadas com papelões, estacionamento e até um módulo policial - e o melhor, com policiais :)

Lá de cima, se o céu estivar limpo, podemos ver os primeiros morros da nossa Serra do Mar ao fundo.
Clique nas fotos pra ver maior ;)

Essa casinha amarela ali é um banheiro que está trancado e desativado. Nossa idéia é conseguir as chaves e usar - também como camarins.

Essa área toda, até o estacionamento lá atrás é onde a galera poderá ficar. Já pesquisamos: Os jogadores de vôlei - que jogam naquela cancha ali antes dos carros - não a usam aos domingos.

Logo, aqui nessa primeira área fica o palco, virado pra lá. Da grama em diante fica a galera... Essa coluna é dos tais banheiros.

Aqui, a visão do público - vista do estacionamento.
Que tal?

domingo, 9 de agosto de 2009

PrasBandas 6 - Bairro Alto

O mapão do bairro da vez já tá na mão

Será na Praça da Liberdade, mas só Deus sabe o dia.

Devido a pandemia da gripe H1N1 todos sabem que todas as aulas em escolas públicas e particulares estão suspensas por prazo indeterminado. Como dependemos da volta delas pra entrarmos no bairro e começarmos a divulgação, esperamos que todos vocês se cuidem, pra isso passar logo e voltarmos à ativa de uma vez.

Entendemos que essas atitudes de prevenção das Secretarias de Saúde e Educação são responsáveis, mas pelo jeito não bastarão. Não adianta os alunos não irem pras aulas e não sentirem a necessidade de que precisam se cuidar, entender o porque e quando lavar as mãos e não sairem por aí à toa se arriscando a serem corpos multiplicadores do vírus. Além das escolas entendemos também que outros estabelecimentos podem vir a fechar para as aglomerações não darem mais asas a esse surto.

O projeto PrasBandas sendo de atuação social,
espera que esse comunicado gere consciência crítica e não desespero alienado em quem o acompanha.

É nós!

Getulio Guerra
Coordenador Geral

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Volte para o seu lar!

video

Informação é foda, seja qual for, nos move.

Sendo sacana ou bacana vamos processando e tentando lidar com a situação de acordo com nossos filtros de compreensão. Eu, num mix de responsabilidade e instinto de sobrevivência (física e espiritual) adiei o show que faríamos com algumas bandas lá Colônia Penal e o próprio PrasBandas 6 no Bairro Alto quando vi/ouvi o Dr. Marcos Takimura antes de ontem no Paraná TV - 1ª Edição dizer o seguinte:

"Nunca nos deparamos com uma situação dessa magnitude, com esse potencial de gravidade, não sabemos que tipo de repercussão... Nós sabemos que a gestante é um grupo mais vulnerável. (...) Para o médico Marcos Takimura medidas que restringem as aglomerações devem ser ampliadas, a exemplo que ocorreu no México. Só assim a disseminação do vírus da nova gripe será contida. (...) O que a gente tem que discutir hoje a nível político, são medidas não medicamentosas, são as contenções que a gente pode fazer. Por exemplo, diminuir a circulação ao máximo. As aulas já são um bom exemplo dessas medidas. Mas acho que tem que ir além disso, não é só a aula que tem que suspender".

O trecho (06:12 em diante) que fecha essa matéria sobre a vinda do Ministro da Saúde nessa terça-feira pro Paraná, a meu ver é o próximo passo a ser feito mesmo e via leis, senão o povo caga e anda mesmo - até porque os níveis de assimilação da realidade são diferentes em todos nós, né?

PS: Volte para o seu lar!